Saiba como lidar com um endividamento excessivo

Saiba como lidar com o endividamento excessivo

Quando falamos de endividamento excessivo, pedir um empréstimo pode parecer uma solução tentadora quando o dinheiro não chega. A facilidade de criar um cartão de crédito ou pedir um crédito pessoal leva grande parte da população a ter uma ilusão de riqueza temporária, criando hábitos de consumo errados que poderão ter consequências graves no futuro. Quando a pessoa contrai uma dívida, terá de ter em conta que o ideal será não contrair mais nenhuma até liquidar a primeira. A principal prioridade deverá consistir em liquidar a dívida em atraso, guardando sempre parte do ordenado para pagar a prestação.

No entanto, sejam as apelativas campanhas de marketing, as baixas prestações anunciadas, ou os maus hábitos de consumo, a realidade é que grande parte das pessoas acaba por contrair mais do que um crédito pessoal. Esta situação pode rapidamente levar uma família a um endividamento excessivo. Outras situações inesperadas tais como uma doença súbita, um divórcio ou a perda de emprego podem significar mudanças drásticas na vida financeira, pelo que é preciso estar preparado para eventuais imprevistos de forma a evitar que entre em endividamento excessivo.

No caso de endividamento excessivo, a pessoa ou família deixa de ser capaz de consumir pois toda ou quase toda a totalidade do seu orçamento é usada para pagar prestações de créditos, juros e até mesmo multas. As multas e juros de mora começam a acumular-se, e a pessoa pode ver-se numa situação financeira incomportável, na qual se verá obrigado a vender ou penhorar os seus bens para saldar as dívidas. Isto tem consequências bastante graves e pode comprometer gravemente a vida pessoal e até mesmo familiar, podendo ser a causa de desagregações familiares.

Antes de mais, o importante é tomar consciência das proporções da situação e não entrar em pânico. Manter a saúde mental e a capacidade de planear uma solução é fundamental para sair de um buraco financeiro. Tenha em conta que o endividamento excessivo pode em alguns casos ser resolvido, com a ajuda de algumas medidas que o irão ajudar a recuperar o controlo da sua vida financeira. Uma mudança drástica de hábitos de consumo é indispensável para que possa continuar a pagar as dívidas. Mesmo que esteja habituado a viver com certos caprichos ou comodidades, é indispensável mudar de atitude e entender que o maior esforço tem de partir de si.

Conheça algumas das formas de lidar com o endividamento excessivo.

1. Reavalie o orçamento familiar.

É necessário avaliar as despesas obrigatórias e identificar as que podem ser reduzidas. Pode reavaliar certas despesas como o seguro de automóvel, escolhendo um plano mais acessível, trocar o pacote de televisão ou Internet por um de valor mais baixo, ou cortando mesmo com todas as despesas não essenciais. Embora seja difícil privar-se de certas comodidades, poderá na verdade aprender a poupar, e a identificar hábitos errados de consumo.

Existem várias formas de poupar no dia-a-dia. Entre as várias medidas que se podem adotar, se vai de carro para o trabalho, faça as contas sobre quanto pode poupar se for de autocarro ou comboio. Se costuma jantar fora, ou comprar comidas prontas, faça antes um plano de refeições semanais procurando aproveitar as sobras. Faça uso da marmita. Fazer refeições diariamente em restaurantes ou cafés no local de trabalho pode sair dispendioso. Se levar comida de casa, pode poupar bastante ao final do mês. O mesmo é válido para snacks e lanches a meio da manhã ou da tarde.

2. Faça um plano mensal do que tem obrigatoriamente de gastar e veja quanto sobra.

Priorize as dívidas. Se tem mais do que uma dívida em atraso, com certeza que uma delas terá uma taxa de juro superior, ou multas mais elevadas. Com o que lhe sobra no final do mês, comece por pagar a dívida pior.

3. Nunca deixe de pagar uma prestação sem avisar a entidade onde contraiu a dívida.

Pode sempre tentar renegociar o método de pagamento com a entidade credora. Muitas empresas e bancos facilitam os pagamentos ou perdoam os juros face a uma situação financeira muito instável. Isto permite-lhes recuperar pelo menos parte do dinheiro adiantado, evitando que as pessoas deixem simplesmente de pagar. Explique-lhes a situação e indique quanto pode, na realidade, pagar ao final do mês.

5. Utilize um cartão pré-pago.

Para ter um maior controlo dos seus gastos diários, pode utilizar um cartão pré-pago. Este ajudará a não gastar mais do que o necessário, contrariamente ao cartão de crédito, em que paga as suas despesas a crédito. Desta forma, evita a acumulação de mais encargos, que poderá levar ao endividamento.

5. Coloque as dívidas à frente de tudo.

Isto pode significar não ir de férias este ano, não ir jantar fora com os amigos ou não comprar nada que não seja indispensável. É fundamental recuperar o controlo das suas finanças antes de se aventurar noutra compra. Se possível, procure um part-time para amealhar algum dinheiro extra que o ajude a pagar aquilo que falta, ou venda alguns artigos usados que já não precise. Existem vários portais online de compra, venda, ou troca de artigos usados que pode aproveitar para ganhar algum dinheiro extra. Se tem alguma habilidade especial como tocar algum instrumento musical, falar uma língua estrangeira, ou se tem conhecimentos para dar explicações, aproveite e coloque um anúncio na Internet a oferecer esse tipo de aulas ou serviços.

Se sente que a situação está a ficar fora do seu controlo, ou se não tem mesmo possibilidade de pagar parte da dívida ao final do mês, peça ajuda. Se tem familiares ou amigos que o podem ajudar, não se sinta envergonhado por ter de pedir ajuda. Se por outro lado não tem quem o ajude, saiba que pode contar com a nossa intervenção para o poder ajudar a lidar com endividamento excessivo. Reúna toda a documentação mencionada abaixo e preencha o formulário.

Documentos necessários para a analise da sua situação financeira:

  • Cartão de cidadão
  • Comprovativo de morada
  • 3 últimos recibos de vencimento
  • 3 últimos extratos bancários das contas principais
  • Mapa de responsabilidades do Banco de Portugal
  • Extratos de dívida de cada crédito

Formulário a preencher:

Browse...

Máximo 10MB

Please wait...

Ajudamos as famílias com endividamento excessivo a criar planos de recuperação económica, entramos em contacto com as entidades credoras a fim de renegociar as condições de pagamento, e disponibilizamos aconselhamento gratuito.

Assim que conseguir pagar as suas dívidas, não corra para um novo empréstimo. Reserve uma quantia equivalente a 6 ou 12 meses do orçamento familiar à qual possa recorrer, caso surja algum imprevisto. Se não tem possibilidades financeiras para o fazer, evite contrair empréstimos com juros altos. Estude primeiro as condições do empréstimo ou peça ajuda a um familiar ou amigo entendido na matéria. A partir daí esteja atento aos sinais. As grandes dívidas começam geralmente com situações menores, como a falta de dinheiro para pagar a conta da luz esse mês, ou o seguro do carro. Antes de contrair um novo crédito pessoal, avalie a situação e siga os passos referidos anteriormente.

Subscreva a nossa newsletter e receba os nossos artigos no seu email!

Creditus . Copyright ©2018 Termos e Condições | Política de Privacidade

Log in with your credentials

Forgot your details?